CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Fátima Trinchão
Poesias, Contos, Crônicas
Textos

CEDO OU TARDE ?

Talvez tenhas vindo tarde demais,
Ou quem sabe ....viestes muito cedo.
Creio eu, que tenhas vindo cedo e
Tarde ao mesmo tempo.
Viestes cedo
,Antes que eu pudesse preparar-me para
Atender as expectativas que o tempo
Me cobrava;
Viestes cedo,
Cedo demais para atender
as exigências que se afloram
Em decorrência de tua vinda;
Viestes cedo
Pois que para ti, ainda
não tenho respostas
nem perguntas,
A não ser,
Pedir-te pacientemente,
paciência!
Viestes tarde,
Muito tarde
Talvez,
Quando já não existe mais
O viço da juventude,
A esperança renovada
no amanhã.
Viestes cedo, viestes tarde,
Viestes cedo e tarde
Ao mesmo Tempo,
Quando Cismas e
Palavras Emparelho,
E diante de tal
E tal, Desmantelo,
Me liberto e me embaraço
Ao mesmo Tempo;
Indago, pergunto
questiono ao vento,
‘’Que faço ?
E o vento de lá
de além
me responde,
Num mesmo Ritmo,
No mesmo compasso,
Nem tarde
Nem cedo viestes;
Vieste no tempo
De Deus,
Na vida que se anima,
No viço que reaviva,
Pelo amor, pela alegria,
Viestes toda e Inteira,
Viestes,
Sejas Bem vinda!
Fátima Trinchão
Enviado por Fátima Trinchão em 09/09/2015
Alterado em 10/09/2015


Comentários