Fátima Trinchão
Poesias, Contos, Crônicas
Textos
BRUMAS

Tão longe estavas tão longe,
tão distante que não te via,
envolta em brumas constantes
tão longe estavas tão longe,
tão longe que não te via.
Fúrias, esperas,angústias,
e no relógio das horas,
compassados os segundos,
contava o tempo e em suma,
nas escarpas indolentes,
vinhas surgindo e contente
planavas como uma pluma
naquele estio de ventos,
e o mar a quebrantar,
em ondas harmonizadas,
assim vindo tu planavas,
os minutos compassados,
tão perto de mim já estavas,
giravam o tempo e o mundo,
na vastidão dum segundo
e o mar a quebrantar,
na cadência secular
em ondas eternizadas.



 
Fátima Trinchão
Enviado por Fátima Trinchão em 28/06/2011
Alterado em 25/10/2019
Copyright © 2011. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários