Fátima Trinchão
Poesias, Contos, Crônicas
Textos


 SILÊNCIO

Um pé-de-vento de repente,
Perpassa por vilas, cidades,
Não  sabe fronteiras, nem limites,
Nem memórias, nem saudades,

Está em todo lugar.
Ninguém sabe donde veio,
Mas, para onde vai, saberá.


Silêncio
Se faz no lugar,
Tudo parece tão estanque,
Tudo parece estancar.
Tudo muda a qualquer hora,
A qualquer hora mudará.


Silêncio
Se faz no lugar,
Ruas solitárias, vazias,
Ninguém a deambular,
Nenhum auto a deslizar,
Nas pistas lisas, desertas.


No silêncio, silencio,
Bem me faz silenciar,
E vejo no espaço vazio,
O Todo a nos integrar.


 
Silêncio,
Silêncio em todo
lugar.
Do futuro só Deus sabe,
Só Deus sabe, saberá.
E Ele diz que tudo passa,
E isto também passará!
 
 
 
 
 
 
 
Fátima Trinchão
Enviado por Fátima Trinchão em 20/03/2020
Alterado em 02/04/2020
Comentários